CARTOGRAFIA SÉCULO XVII ? ORBIS TERRAE NOVISSIMA DESCRIPTIO.

Librería: Livraria Castro e Silva (Lisboa, Portugal)

Librería en AbeBooks desde: 19 de junio de 2013

Cantidad: 1

Comprar usado
Precio: EUR 6.000,00 Convertir moneda
Gastos de envío: EUR 23,01 De Portugal a Estados Unidos de America Destinos, gastos y plazos de envío
Añadir al carrito

Descripción

Mapa-mundo de 1633 (datado). Aberto a chapa de cobre. Colorido à mão na época. Em moldura de madeira dourada. Dim.: 34 x 51,5 cm; com moldura 49 x 64 cm Cartógrafo e Gravador: Jocodus Hondius [1563?1612] Editor: Jean Le Clerc [1560 ? 1621] Descrição física: Escala: 1:80.000.000 Mapa com dois hemisférios, rodeado de diversas tabelas astronómicas e meteorológicas e diagramas que incluem tabelas de ventos, uma tabela lunar e tabelas de temperaturas. Apresenta ainda uma rosa-dos-ventos decorativa. Nas águas não exploradas encontram-se representados diversos monstros marinhos e veleiros. Legenda em cartela em baixo [citação de um dos salmos favoritos de Hondius]: ?DOMINI EST TERRA ET PLENITUDO EIUS, ORBIS TERRARUM ET UNIVERSI QUI HABITANT IN EO. QUIA SUPER MARIA FUNDAVITEU M, Etc.PSAL 24? Verso: Texto em francês descrevendo o mapa proveniente de um atlas. Descrição de conteúdos: Um belíssimo exemplar deste mapa, da autoria de J. Hondius e J. Le Clerc. Com base no mapa de 1587 de Gerard Mercator [1512-1594] e a pedido de Le Clerc, Hondius produziu este mapa pela primeira vez em 1602. Esta versão é a última e a mais rara, identificável pela adição da data, 1633. Ao contrário do que acontece com edições anteriores, não se conhece nenhum atlas de Le Clerc desta altura. No entanto, o texto em francês no verso faz-nos pensar que seria parte de um Atlas, provavelmente uma edição não registada. Sendo um mapa anterior às grandes descobertas das décadas seguintes, existe alguma especulação e merece um estudo detalhado. Na América do Norte, que na altura estava ainda em grande parte por explorar, estão representados os reinos lendários de Quiviara, Anian, Tolm e Cibola no Oeste americano. A nordeste mais um reino lendário, Norumbega. Pode ainda ver-se um grande lago ou baía que abre para o Ártico, identificado como Mare Dulce, e que corresponde ao lago Conibas de Mercator no seu mapa das Regiões Polares de 1595. Aqui representado mais a Sul, leva a crer que Mercator possuía já conhecimento da região dos Grandes Lagos antes da sua descoberta oficial. Nova Albion encontra-se identificada no noroeste da América, confirmando assim as reivindicações de Sir Francis Drake sobre a região em resultado da sua viagem de circum-navegação. A América do Sul segue o modelo padrão da época, com a região mais a sul cortada a norte do Estreito de Magalhães. A Terra do Fogo está identificada como ?Insula Regina Elisabete?, referenciando novamente a viagem de Drake. Isto é bastante significativo, dado que a maior parte dos mapas da altura apresentavam a Terra do Fogo como uma massa de terra ligada a Terra Australis. Esta escolha de a representar como um arquipélago, muito antes de se provar que o era, tem implicações políticas, tendo assim os concorrentes dos holandeses, que dominavam o Estreito de Magalhães, uma alternativa de passagem para o Pacífico. Estão identificadas diversas cidades importantes, incluindo Lima, Cuzco e São Miguel. O continente é dominado por dois grandes rios, o Amazonas e o Rio da Prata/Paraguai. O Chile é nomeado e identificado como terra de antropófagos e canibais. Em contraste com o que acontece em mapas posteriores, não existe qualquer referência ao El Dourado. A África tem também um formato padrão mostrando dois grandes rios, o Nilo e o Níger, a dominarem o continente. O Nilo é representado de acordo com o modelo ptolemaico alongando-se para sul. Uma vez que nesta altura ainda não tinham sido efectuadas a maior parte das missões missionárias à Abissínia, tanto o Nilo Azul como o Nilo Branco não estão correctamente cartografados. Por outro lado, o Níger segue uma rota mais ou menos correcta, excepto no desvio para sul que faz a ligação com o Biafra. A cartografia do rio sugere que seria possível a ligação ente o Congo e Moçambique, o que mais tarde se veio a revelar impraticável. A Ásia tem diversos pontos interessantes, como a orientação do Mar Negro de este para oeste, um erro comum na época. Os quatros grandes rios do sudoeste asi. N° de ref. de la librería 1601AD011

Hacer una pregunta a la librería

Detalles bibliográficos

Título: CARTOGRAFIA SÉCULO XVII ? ORBIS TERRAE ...

Descripción de la librería

Fine Old and Rare Books. By appointment only.

Ver la página web de la librería

Condiciones de venta:

Normal comercial condition.

Please visit website for any more references: www.castroesilva.com

Condiciones de envío:

Orders usually ship within 4 business days. Shipping costs are based on books weighing 2.2 LB, or 1 KG. If your book order is heavy or oversized, we may contact you to let you know extra shipping is required.

Todos los libros de esta librería

Métodos de pago
aceptados por la librería

Visa Mastercard American Express Carte Bleue

Dinero en Efectivo Factura Transferencia Bancaria