Poesia épica: Metamorfoses, Os Lusíadas, Ilíada, O Uraguai, Canção dos Nibelungos, A Canção de Rolando, Canção de gesta, Eneida, Divina Comédia

0 valoración promedio
( 0 valoraciones por GoodReads )
 
9781231474624: Poesia épica: Metamorfoses, Os Lusíadas, Ilíada, O Uraguai, Canção dos Nibelungos, A Canção de Rolando, Canção de gesta, Eneida, Divina Comédia
From the Publisher:

Fonte: Wikipedia. Páginas: 66. Capítulos: Metamorfoses, Os Lusíadas, Ilíada, O Uraguai, Canção dos Nibelungos, A Canção de Rolando, Canção de gesta, Eneida, Divina Comédia, Beowulf, Ferrabrás, Cantar de Mio Cid, A Rainha das Fadas, Epopeia de Gilgamesh, Os Lusíadas em latim, Kalevala, Teogonia, Orlando enamorado, Orlando furioso, Jerusalém libertada, Canção de Roncesvales, Épico de Manas, Paraíso Perdido, Penélope, Shahnameh, Os Trabalhos e os Dias, Épico do Rei Gesar, Rapsodo, Digenis Akritis, I-Juca-Pirama, Parzival, Caramuru, Catálogo de Mulheres, Childe Roland à Torre Negra Chegou, Kalevipoeg, Paraíso Recuperado, Prosopopeia, Vila Rica, Afonso Africano. Excerto: Metamorfoses é uma das obras mais famosas e considerada como a magnum opus do poeta latino Ovídio. O poema narrativo foi tornado público por volta do ano 8, e, ao lado de Fastos, trata-se talvez de um de seus poemas inconclusos por conta do exílio que sofreu no Ponto Euxino, costa do Mar Negro, região distante de Roma. É desconhecida a causa do exílio, mas existem duas hipóteses: ou Augusto não tenha gostado do âmbito de sua obra desde A Arte de Amar, e as Metamorfoses de Ovídio, ao contrário do pensamento de ordem e estabilidade do imperador, mostram um mundo em constante mutação, ou o poeta romano foi indiscreto a respeito de algum aspecto íntimo do soberano ou de sua família. A estrutura de Metamorfoses constitui-se de 15 livros escritos em hexâmetro dactílico com cerca de 250 narrativas em doze mil versos compostos em latim, e que transcorrem poeticamente sobre a cosmologia e a história do mundo, confundido deliberadamente ficção e realidade, narrando a transfiguração dos homens e dos deuses mitológicos em animais, árvores, rios, pedras, representando o príncipio dos tempos, chegando à apoteose de Júlio César e ao próprio tempo do poeta, ou seja, o Século de Augusto (43 a.C. - 14 d.C.). Este ciclo histórico apresenta a mitologia como uma etapa no desenvolvimento do mundo e do homem: Ovídio segue ...

"Sobre este título" puede pertenecer a otra edición de este libro.

(Ningún ejemplar disponible)

Buscar:



Crear una petición

Si conoce el autor y el título del libro pero no lo encuentra en IberLibro, nosotros podemos buscarlo por usted e informarle por e-mail en cuanto el libro esté disponible en nuestras páginas web.

Crear una petición