História da matemática: História da computação, História da trigonometria, Teorema de Pitágoras, Plimpton 322, Osso de Ishango (Portuguese Edition)

0 valoración promedio
( 0 valoraciones por Goodreads )
 
9781231464410: História da matemática: História da computação, História da trigonometria, Teorema de Pitágoras, Plimpton 322, Osso de Ishango (Portuguese Edition)

Fonte: Wikipedia. Páginas: 29. Capítulos: História da computação, História da trigonometria, Teorema de Pitágoras, Plimpton 322, Osso de Ishango, História da estatística, História dos números longos, YBC 7289, Método da exaustão, Papiro de Rhind, Máquina diferencial, Jørgen Pedersen Gram, Escola Kerala de astronomia e matemática, Kawiarnia Szkocka, Mathematics Genealogy Project, Geometria egípcia, Escola italiana de geometria algébrica, Comensurável, Matemática pré-colombiana, Matemática babilônica, Livro Escocês, Carl Friedrich Hindenburg, Papiro de Moscou, Triângulo egípcio, Discagem. Excerto: O desenvolvimento da tecnologia da computação foi a união de várias áreas do conhecimento humano, dentre as quais: a matemática, a eletrônica digital, a lógica de programação, entre outras. A capacidade do ser humano em calcular quantidades nos mais variados modos foi um dos fatores que possibilitaram o desenvolvimento da matemática e da lógica. Nos primórdios da matemática e da álgebra, utilizavam-se os dedos das mãos para efetuar cálculos. Na região do Mar Mediterrâneo, surgiram o alfabeto e o ábaco. A primeira ferramenta conhecida para a computação foi o ábaco, cuja invenção é atribuída a habitantes da Mesopotâmia, em torno de 2400 a.C. O uso original era desenhar linhas na areia com rochas. Versões mais modernas do ábaco ainda são usadas como instrumento de cálculo. O ábaco dos romanos consistia de bolinhas de mármore que deslizavam numa placa de bronze cheia de sulcos. Também surgiram alguns termos matemáticos: em latim "Calx" significa mármore, assim "Calculos" era uma bolinha do ábaco, e fazer cálculos aritméticos era "Calculare". No século V a.C., na antiga Índia, o gramático Pānini formulou a gramática de Sânscrito usando 3959 regras conhecidas como Ashtadhyāyi, de forma bastante sistemática e técnica. Pānini usou meta-regras, transformações e recursividade com tamanha sofisticação que sua gramática possuía o poder computacional teórico tal qual a Máquina de Tur...

"Sinopsis" puede pertenecer a otra edición de este libro.

(Ningún ejemplar disponible)

Buscar:



Crear una petición

Si conoce el autor y el título del libro pero no lo encuentra en IberLibro, nosotros podemos buscarlo por usted e informarle por e-mail en cuanto el libro esté disponible en nuestras páginas web.

Crear una petición